quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Medos e enfrentamentos...

Primeiro post de 2012!

Gente, hoje é o meu primeiro post de 2012! E embora esse seja um blog de moda, eu resolvi compartilhar com vocês algo que não tem nada a ver: os meus medos. Sim, 2011 foi um ano onde eu tive que enfrentar muitos dos meus medos e assim acabei vendo que a coisa não era tão ruim assim. Por isso vou contar para vocês tim-tim por tim-tim como foi e quem sabe assim eu ajudo vocês com algumas temores que ás vezes são tão bobos!

Medo de agulha
Mais conhecido como alergia à agulha, não sei como ganhei esse medo, mas sei como perdi. Foi quando tive que fazer um exame de intolerância à lactose que consistia em levar quatro agulhadas uma a cada meia hora. Na primeira eu nem olhei, na segunda a mulher perdeu minha veia, na terceira olhei e vi que na realidade não era tão ruim assim, e na quarta fiz questão de olhar tudo e perceber que a coisa era bem mais simples do que parecia. Na minha cabeça eu achava que a visão do meu braço com uma agulha seria terrível, sangue por toda a parte e uma dor imensa. Mas quando olhei para a agulha vi que não era nada disso e simplesmente me acalmei. Eu consegui enxergar a coisa como ela era, e não como eu via. Depois eu fiz até uma tatuagem, como vocês viram aqui.

Medo de e.t.
Meu pai me fazia assistir filmes de monstros e e.t. quando eu era criança, aí a pessoa aqui traumatizou né? Esse era uma medo que eu ignorei durante muito tempo, até que um dia eu tava conversando com um amigo sobre os antigos filmes de extraterrestes e me deu um pavor gigante, me veio à tona todas as cenas que assisti na infância. Não deu outra: Baixei todos esses filmes e os assisti, assim eu vi que eram todos muito bobos e que eu não tinha motivo para ter medo. Agora me sinto melhor com isso.

Medo de dirigir
     Fotos de arquivo pessoal, para utilizar peça autorização!
Eu não sabia que tinha esse medo, até minha primeira aula prática na auto escola, onde eu desabei no choro e entrei em desespero. Concluí as aulas, mas o medo ainda me atormentava. Aí rodei na prova e troquei de auto escola, tive aulas com uma instrutora horrível e fui obrigada a dirigir sendo chamada de incompetente para baixo. Com raiva, eu passei na prova para me livrar dela e a primeira vez que saí de carro foi assustadora, mas sempre com um amigo (corajoso) do lado. Até que aconteceu: Fiquei presa em uma enchente com o carro e eu estava sozinha, chorei, me desesperei, mas perdi o medo da pior forma. Hoje tenho confiança para dirigir por aí, mas claro: A confiança só é adquirida com a experiência.

Medo de tocar no olho
Eu uso óculos desde os 11 anos de idade, e com uns 13 eu resolvi que usaria lente de contato. Mas qual não foi o meu impasse ao tentar coloca-la no olho? Eu achava que se tocasse no meu olho eu poderia fura-lo, ou arranca-lo. Como resultado passei muito tempo sem aproveitar os benefícios nas lentes, aí encontrei uma contatóloga que teve toda a paciência de me ensinar e me ajudar ela me fez ver que era um medo bobo e que no olho a gente não sente nem dor! Aí hoje em dia é tudo uma beleza, amo minhas lentes de contato e aproveito muito bem.

Medo de cachorro

     Fotos de arquivo pessoal, para utilizar peça autorização!
Eu era muito pequena quando tinha esse medo, talvez porque eu era tão pequena que os cachorros pareciam enormes, aí eu cresci e vi que eles não eram tão grandes assim. É aquela coisa, enxerguei a realidade como ela é, e não como eu a via. Gostei tanto que hoje eu amo cachorro, e super defendo esses lindos bichinhos e tanto nos respeitam.

Medo do escuro
Eu não entendia o porque desse medo, o que o escuro poderia fazer contra mim? Até que percebi que a moral era que eu tinha medo do que poderia haver no escuro: Monstros, almas, etc. Aí passei a trabalhar no meu medo desses seres, e consegui ficar tranquila na escuridão. Aprendi que escuro é muito bom, principamente com boa companhia.

Medo de mostros e zumbies
     Fotos de arquivo pessoal, para utilizar peça autorização!
Se você leu ali em cima que filmes eu assistia, bem sabe que eu também tinha medo de monstros. E sabe como eu superei? Jogando muito Resident Evil e Silent Hill. Sério! Foi assim mesmo, hoje zumbis são fichinha para mim, aprendi que rir desses bonecos e achar coisas engraçadas neles me fazia perder o medo. Tipo a Boo do Montros S.A. quando perde o medo do camaleão (bah, péssimo exemplo).

Se tem uma coisa que eu aprendi com isso tudo é que: A única maneira de vencer nossos medos é enfrentando, sei que pode ser um pouco clichê, mas é a pura verdade. Espero que eu possa ajudar vocês com este post.
Se você não puder enfrentar de verdade, veja filmes a respeito e se for muito difícil para você procure ajuda de um psicólogo, pode ser um problema muito maior.

O cachorro da foto dali de cima é a Colinha, ela era minha cachorrinha até darem para alguém sem me pedirem autorização, hoje não tenho mais informações sobre ela.

Ah, e um muito obrigada aos meus novos seguidores! =D
                                                Fiquem bem meus amores e sem medo!

2 comentários:

Michele, Gabi e Nathália disse... [Responder]

quem não tem medo de alguma coisa dessas ai que atire a primeira pedra! HAHAHA gostei do post.
beijos ;*

http://www.tendenciaeglamor.blogspot.com/

(post novo!!)

Cabana Das Cores disse... [Responder]

Desses o unico que tenho é de agulha, ODEIO!

Você poderá gostar também...
 

Copyright © Tá na moda? Também quero!. Template created by Volverene from Templates Block
WP by WP Themes Master | Price of Silver